NOTA #4 [18/07/2017] (RJ I)

Para Safatle o poder de certa forma nos melancoliza fazendo com que fiquemos paralizados e não tomemos atitude para que consigamos mudar uma determinada situação.

Zizek discorrendo sobre a ideologia diz discorda de Marx. Enquanto os marxistas falam algo do tipo que as “não sabem o que fazem é preciso conscientiza- las” Zizek diz que as pessoas sabem o que fazem e mesmo assim o fazem. Haveria alguma relação entre esse Cinismo da Ideologia e a Produção de Melancolia?

NOTA #3 [18/07/2017] (RJ I)

Um participante, em dado momento na última reunião, afirmou com convicção ser comunista. Posteriormente, quando indagado sobre o que significava ser comunista, respondeu não saber (o que me lembrou um pouco dos versos finais de “Alguns gostam de poesia”: mas o que é isso, poesia// muita resposta vaga// já foi dada a essa pergunta.// pois eu não sei e não sei e me agarro a isso// como a uma tábua de salvação).  Essa declaração categórica, que expressava talvez uma adesão plena a um significante do qual não se sabe plenamente o significado – talvez nem mesmo remotamente –, me levou a pensar que, a despeito de alguma teoria já lida sobre isso, eu também não saberia dizer o que significa ser comunista hoje em dia. Gostaria então de levantar a pergunta a algum(ns) dos camaradas que porventura já saiba: o que significa ser comunista hoje?

NOTA CEII SP #1 [13/07/2017]

Na última reunião ficou evidente alguns pontos cruciais sobre as atividades da nossa célula. O primeiro é que a leitura temática que vínhamos tentando implementar desde o início do ano, não “colou” e portanto achamos por bem voltarmos ao processo de leitura mais tradicional, com a escolha de uma obra para lermos. Nada nos impede, entretanto, de lermos somente alguns capítulos que acharmos interessante para o nosso contexto, ao invés de fazermos uma leitura minuciosa de toda a obra. Outro ponto, é a importância das leituras para nossas atividades. A leitura, obviamente, não nos apresentará respostas prontas, nem um manual prático sobre o que fazer. Mas nos ajudará na reflexão e, junto com as discussões, talvez nos ajude na diminuição dessa inquietação e frustração causadas pelo momento que estamos vivendo em nosso país.

NOTA #5 [11/07/2017] (RJ I)

A mercadoria é antes de mais nada um objeto externo uma coisa que poer suas propriedades satisfaz necessidades humanas seja qual for a natureza, a origem delas, provenham do estomago ou da fantasia. Não importa a maneira como a coisa satisfaz a necessidade humana, se indiretamente, como meio de subsistência, objeto de consumo ou indiretamente como meio de produção. Pag 57

Cada coisa útil como ferro, papel e etc.. Pode ser considerado sob duplo aspecto, segundo sua qualidade de quantidade. Pag 57

A utilidade de uma coisa faz dela valor de uso. Pag 58

O valor de uso só se realiza com a utilização ou o consumo. Os valores-de-uso constituem o conteúdo material da riqueza, qualquer que seja a forma social dela. Pag 58

O valor de troca revela- se, de inicio, na relação quantitativa entre valores de uso de espécies diferentes, na proporção em que se trocam, relação que muda constantemente no tempo e no espaço. Pag 58

Na própria relação de permuta das mercadorias, seu valor de troca revela-se, de todo, independente de seu valor de uso. Pondo- se de lado o valor de uso dos produtos do trabalho, obtém se seu valor como acaba de ser definido. Pag 60

Um valor de uso ou um bem só possui portanto valor porque nele está corporificado, materializado, trabalho humano abstrato. Pag 60

Cada uma dessas forças individuais de trabalho se equipara ás demais, na medida em que possua o caráter de uma força média de trabalho social e atue como essa força média, precisando, portanto , apenas do tempo de trabalho em média necessário ou socialmente necessário para a produção de uma mercadoria. Tempo de trabalho socialmente necessário é o tempo de trabalho requerido para produzir- se um valor de uso qualquer, nas condições de produção socialmente normais existentes e com o grau social médio de destreza e intensidade do trabalho. Pag 61

O que determina a grandeza do valor, portanto,  é a quantidade de trabalho socialmente necessária ou o tempo de trabalho socialmente necessário para a produção de um valor de uso. Pag 61

A produtividade do trabalho é determinada pelas mais diversas circunstancias, dentre elas a destreza média dos trabalhadores, o grau de desenvolvimento da ciência e sua aplicação tecnológica, a organização social do processo de produção, o volume e a eficácia dos meios de produção e as condições naturais. Pág.62

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Começando a ler o Capital de forma mais sistemática logo no primeiro capitulo vemos que há coisas de suma importância para enfrentar os problemas dos comunistas/esquerdistas de hoje.

 

Umas das coisas que é muito debatida dentro da economia mainstream é a questão da produtividade. inclusive a reforma trabalhista que acaba de ser aprovada no congresso tem como um de seus motivos a adequação a baixa produtividade do país. No entanto, enquanto os manuais de economia que são lidos e ensinados nas melhores(?) faculdade de economia, salvo algum incremento, tem por base a mesma prerrogativa da reforma trabalhista que é resumidamente uma relação entre a quantidade produzia (Q) x o fator de trabalho [ (T) tecnologia, (L) Trabalho e ect..] Esse tipo de aproximação é muito difundida e é geralmente o que a vulgata liberal propõe enquanto parâmetro para mediar a produtividade. No entanto Marx tem uma abordagem diferente, conforme abaixo:

 

“A produtividade do trabalho é determinada pelas mais diversas circunstancias, dentre elas a destreza média dos trabalhadores, o grau de desenvolvimento da ciência e sua aplicação tecnológica, a organização social do processo de produção, o volume e a eficácia dos meios de produção e as condições naturais.”  Pág 62

 

Ou seja, a maneira como os liberais propõem o diagnostico já começa insuficiente e, não apenas, por isso pode levar a graves erros sob o ponto de vista econômico que não só prejudica os trabalhadores, mas também a produção de uma forma geral na medida em que não considera outros determinantes para a produção do valor. Nesse sentido, é preciso discutir de forma mais clara e/ou mais honesta para que consigamos ter uma economia com produtividade alta mas que seja mais coerente com a realidade para que não causa problemas no futuro e que se tornem irresolvíveis.

 

 

NOTA #3 [11/07/2017] (RJ I)

Camaradas da Célula RJ – I,

Informo-lhes que as propostas dos trabalhos para a mesa-redonda do evento MARX E O MARXISMO 2017 do NIEP-UFF já foram postadas para a organização. O evento ocorrerá na última ou penúltima semana de agosto. O endereço do evento está aqui: http://www.niepmarx.blog.br/MM2017/marxmarxismo2017.htm .

Peço apenas que repassem essa informação na reunião.

Cordialmente,

097